28.2.11

Arte como arte

“Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” (Filipenses 4:8)


E seja isso que ocupe o vosso dia.

Bom dia! Quem diria? Se halgo de bom havia, nisto eu pensaria.

É desta arte que eu quero falar, talvez até manifestar. Aquela arte que todos nós temos, mas as vezes não fazemos. Aquela arte que toma o nosso pensamento, nossa mente, nosso tempo... Que nos faz ir à frente, indiferente ou incoerente. Eu disse incoerente? Sim, e por que seria diferente?

Há tanto tempo eu desejo que ela apareça no mais alto escalão da igreja. Quem sabe de oculto no pulpito ou na frente do louvor. Seja o que for, aquilo que for inerente, inconsciente, abrangente, que deveria ser levada pela igreja para todos, não apenas aos tolos. Algo que deveria começar no altar, e depois que de lá se forjar e às ruas sair, fazer a criançada sorrir, o velho sonhar e o jovem profetizar.

Vocês entendem do que eu falo, ou será que somente eu me embalo? Eu quero discorrer sobre a arte de milagres que não sejam confundidas com obras de aráque. A arte de pintar e bordar, de dançar e cantar, de assar e cozinhar, de conduzir e organizar. A arte de servir e tambem de ordenar. Esta arte que deveria ser feita para Ele, pois somente Ele muda o sujeito, revela o oculto e faz tudo direito.

Direito, como aquilo que é bom. Que tem virtude, que se faz como um dom. Aquele dom que cada um tem a sua maneira, mas, que as vezes fica preso na peneira.

Se há boa fama, se há alguma virtude, nisso pensai. Não mude de atitude. Fazei, uai!

Manifeste o teu dom de todas as formas, linguas, cores, normas, tintas, sabores. Diga em qualquer idioma, pois à Ele é a honra, e para sempre “and ever”. Ou, “what ever”. O que importa é se expressar de forma correta, sem erros, na meta. A meta de alcançar as almas, corações, razões, paixões, convicções. A meta de transcorrer o vício deste mundo perdido, exausto, exaurido, acabado, viciado, maltratado, indígno. Sim, indígno da salvação, aquela que nos foi dada através da paixão. Paixão do Filho do homem, aquele que todos nós sabemos o nome.

Deveria ser fácil começar a cantar no altar e depois disto às ruas o louvor levar. Deveria ser de praxe, que eu ache, pregar para trezentos no banco da igreja, e seja por que seja, como se diz, pregar na praça da Matriz. Não entendo porque não se reconhece que o bolo que você faz não serve só para comer, mas tambem para converter. Através dele um milagre pode acontecer. Basta você querer.

Se há algo de bom, se há alguma virtude, nisto pensai. Não tenha medo. Peça ao Pai.

Em sua mente há um teatro que salvará vidas, basta voce reconhecer das falas as rimas, ou talvez não. Que seja, então, uma camisa com um simbolo, algo inspirador, digno. Que seja um blog que manifeste a vida cristã, que discorra sobre o seu cotidiano, ou até que fale sobre alguma coisa vã. O que importa é que de alguma forma se faça o que à você foi dado de graça. É puro, é perfeito, assim como o teu irmão.

Meu queridão, não tenha medo, não é segredo. É aquilo que está em sua mente, faz parte de você. Como já disse, que te faz ir em frente, que te faz crescer. É o dom que D’us te deu. Não, você não mereceu, mas Ele te capacitou para a obra a qual Ele te criou.

Crie, invente, apresente, REAPRESENTE! Não guarde na sua mente. Para ser derramado é que o vaso se enche. Satisfação em ser usada a ferramente sente. Onde houver louvor, onde houver justiça, seja manifestada esta arte bem quista. Seja manifestada esta arte bem quista.

Não pense que é na igreja a linha de chegada. Lá é sim a linha de partida. Não preciso dizer mais nada.

Não reprima, deixe-a ser manifestada.

Não reprima, deixe-a ser manifestada.

Não reprima, não deixe que se apague, há um dom dentro de você que mais que tudo vale. D’us te deu, você não mereceu, de graça recebeu assim que nasceu. Até mais tarde, quando depois renasceu. Entendeu?

Se há algo de bom, se há alguma virtude, nisto pensai. Não a reprima pois ela não racha. Ela “vai”.

Paz à todos de boa fé. Aos amigos que entendem como ela é. Aos que ainda não entendem mas curiosidade sentem. Aos que dela tiram forças e aos que dela tiram sustento. Aos que dela tiram a vitória acima deste mundo violento. Aos fanáticos que a Palavra seguem, desejo que a Cristo nunca neguem. Aos irmãos que passam por algum apuro, desejo que nada disso seja duro. Da rocha firme tirou Moisés a água boa, tire você desta vida a tua coroa.

Ps: Mais uma vez para ter certeza que tudo passei à voces. Não guarde, manifeste. Não esquece. Que ocupe a sua mente, que a sua vida reinvente.

                                                      @Luiz Alfredo Noronha Perin

5 comentários:

Âniiii disse...

Há probabilidade do irmãozinho estar ouvindo DJ ALPISTE - Cidade Nua ?
ehuiasheuiahueih
é que tem uma parte que fala "arte como arte" mas tá eu sei que é jargão

devo dizer que esse post tá supimpa!
ahaahhaha

Deus abençoe everybodysonthetable

luiz alfredo disse...

Everybodysonthetable say Hay-Oh!

Everybodysonthetable say Ho-Oh!

Danilo Soares disse...

GLORIAAA A DEUSSSSSSSSSS !!!

Que o Espirito de Deus sempre inspire nossas rimas!

PAz e Fé em Deus.

L.H.P.G disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Henrique disse...

Pô luiz, muito bacana esse post.